segunda-feira, 25 de julho de 2016

Masturbação Sagrada - A Consagração do Falo e Transição de Ciclo


Por algum tempo acreditei que escrever era desperdiçar o meu tempo e além de não ganhar nada com isso, me doava e muitas vezes recebia comentários cheios de crítica e pouco gratidão.
Porém com o tempo que fiquei sem escrever comecei a receber diversas mensagens de leitores do blog, homens e mulheres que questionam o que é a verdadeira masculinidade e buscam um equilíbrio e conexão com o Sagrado. Sempre procurei responder a todas as mensagens e perguntas e muitos começaram a e questionar quando escreveria textos novos. Mas ao mesmo tempo não estava estimulado a escrever sobre nada estava vivenciando outras coisas além do masculino e do feminino, uma conexão com o Eu Superior. Talvez não estivesse pronto a voltar a escrever, de repente precisava de outras vivências para depois retomar esse movimento do Sagrado Masculino.
Agradeço aos leitores que continuam sempre entrando em contato compartilhando suas vivências e agradecendo pelos textos. Fico muito feliz em saber que usam os meus textos em seus grupos, círculos e rodas de homens e mulheres. Me sinto honrado em contribuir para o estudo e a evolução de vocês e por isso reacendi dentro de mim a vontade de escrever e compartilhar escritos que nunca foram publicados on line apenas compartilhado no Círculo do Sagrado Masculino. 
Se você já acompanha o blog então prepare-se, pois as publicações irão voltar e tem muito conteúdo que desejo compartilhar com todos. 
E para começar esse novo ciclo de postagens vou compartilhar o que mais me pedem sempre por mensagem, práticas.
Essas práticas foram desenvolvidas por mim no período em que pesquisava sobre Sagrado Masculino, Bruxaria e Paganismo, então são práticas baseadas nessas três bases, onde utilizo sempre algum arquétipo de divindades masculinas para meditação. Vocês podem trabalhar com divindades que costumam se conectar ou busca um arquétipo diferente por ciclo para se conectar sugiro o leitura do texto Ciclos Masculinos caso você ainda não tenha lido pois lá explico como medimos o que chamo de microciclos.
Gostaria de adverter que não existe uma verdade absoluta, que o que estou compartilhando pode funcionar com muitos e pode não causar efeito nenhum em alguns, é apenas o modo que eu desenvolvi de trabalho, apliquei em mim mesmo e nos homens que passaram pelo Círculo do Sagrado Masculino. Fiquem abertos e livres para realizar adaptações do seu modo de ritualizar e se conectar. 
Outra advertência é a respeito de energia sexual, masturbação e sêmen. Também indico que leiam O Poder do Sêmen antes de fazer essa prática para que entenda o valor e o poder que o sêmen tem e se liberte do nojo e dos tabus que a sociedade impõe a esse respeito. O Falo é uma energia arquetípica e o seu símbolo supremo é o pênis, o contato com o pênis como simbolo absoluto da masculinidade nos auxilia energeticamente ao contato arquetípico do Falo e a sua força criativa e regeneradora. Masturbação também é vista até hoje como um tabu, porém é algo totalmente natural e pode ser um ato sagrado quando estamos conectados com nosso corpo e nossa energia sexual plenamente para um fim específico. Vamos esclarecer alguns pontos históricos sobre essa prática.


               A masturbação em si já se torna um rito de passagem, quem não se lembra da primeira vez que se masturbou e teve um orgasmo acompanhado de ejaculação?
               Masturbação vem do latim, "manus" (mãos) e "turbari" (esfregar), ou seja, "esfregar com as mãos". Porém esse termo só foi difundido quase no fim século XIX, pelo fundador da psicologia sexual. Muito antes disso os homens do período paleolítico já representavam em suas pinturas nas cavernas, o ato da masturbação em solitário ou coletivamente em rituais de fertilidade. Para os gregos era considerada uma prática natural e comum. No Antigo Egito, tanto a masturbação masculina como feminina eram sagradas. Masturbações coletivas eram realizadas nos templos de Atum e de outras divindades. Min, deus da fertilidade, e da procriação egípcio, é representado em posição itifálica, e as mulheres quando morriam eram mumificadas junto com objetos fálicos utilizados por elas, uma espécie de "vibrador" de argila. Nas ruínas maias, também são encontradas várias representações de rituais onde há masturbações coletivas. Já para os hindus, o sêmen deve ser preservado então praticam as masturbações tântricas onde há orgasmo não ejaculatório.
               Porém, como sempre, o cristianismo vem acabar com a festa, condenando a masturbação como algo do mal, onde o sêmen é desperdiçado. Pensamento que se perpetuou durante grande parte da história. No período medieval criaram maneiras de evitar a masturbação como cintos de castidade masculinos e outros métodos torturantes, para se evitar até mesmo uma ereção. Aquino declarou a masturbação como um pecado pior que o incesto, e com a descoberta do espermatozoide pela medicina no século XVII, por Leeuwenhoek e seu conceito do pré-formismo, onde afirmava que dentro do sêmen há um homenzinho em miniatura que dentro da mulher começa a se desenvolver, fez da masturbação uma espécie de assassinato de uma geração. Mesmo depois esse conceito de pré-formismo ter sido quebrado, Tissot, em seu célebre livro "Onanism", condenou a masturbação e a definia como desperdício da essência masculina através da ejaculação. A perda de 30 gramas de sêmen, declarou ele, é igual a 1.200 gramas de sangue. Para Tissot os orgasmos masturbatórios são piores do que outros porque o poluidor (a pessoa que se masturba) conta com a fantasia como objeto de amor, superaquecendo o cérebro deixando a pessoa com a aparência cadavérica. Inclusive ensinava dicas de como evitar a prática masturbatória como: beber quinino, tomar banho frio, e praticar "pensamentos puros".
               Com o surgimento da psicanálise, foram se criando outros conceitos a respeito da masturbação, Freud tinha objeção pela masturbação, não mais por uma questão moral nem se baseava na crença de Tissot de conservar a essência masculina, mas porque considerava uma forma insatisfatória de orgasmo que levava à perda do vigor, à ejaculação precoce ou à incapacidade de ejacular durante o intercurso sexual. O que gerava a neurastenia, um estado de fraqueza sexual caracterizado por depressão e fadiga crônica.
Todo esse peso histórico influenciou gerações, e causou grande desconforto e até sentimento de culpa nos jovens que se masturbavam, e se perdeu a sacralidade do ato. A criação de mitos como, que masturbação faz crescer pêlo na mão, ou que se masturbar faz nascerem espinhas, vem de séculos de condenação a algo que é tão natural, sagrado e saudável. Os profissionais da área da saúde já atestaram que a masturbação é uma prática saudável e até mesmo essencial no período da puberdade, quando o jovem está descobrindo seu corpo e desenvolvendo sua sexualidade. Masturbar-se, como foi atestado, ajuda na prevenção do câncer de próstata.


Bem dito isso preparem-se pois os Mistérios serão revelados, mas só aqueles que a busca é verdadeira e possuem o coração e a mente aberta podem compreender o significado desses mistérios no seu interior. Espero que essa prática auxilie aos homens a se conectarem com sua energia fálica plena equilibrando essa força dentro de vocês.



Rito de Transição de Ciclo


Preparação –

Banho pré-ritual: Tome um banho especial com ervas ou sais de banho. Pode ser um banho solar, ou o banho com ervas de seu signo solar, lunar e ascendente ou o que vocês acharem apropriado para o momento (purificação, prosperidade, beleza, etc.)
Segue uma receita sugerida: Banho Solar do Sagrado Masculino - Receita de Gawen Ausar
Você vai precisar de:
Açafrão
Alecrim 
Louro 
Pétalas de Girassol ou camomila 
Óleo essencial de Almíscar ou Musgo de Carvalho

Modo de preparo:
Ferva aproximadamente 1 litro de água. Apague o fogo e acrescente uma colher rasa de açafrão, um punhado de cada erva e 9 gotas de óleo essencial de almíscar ou musgo de carvalho. Abafe e deixe descansar por volta de 30 minutos até que a água esteja morna.
Coloque suas mãos próximas ao banho e visualize uma luz dourada entrando pelo seu chakra coronário e saindo através de suas mãos. Cante o mantra do Deus: "Hórus, Marduk, Dionísio, Krishna, Odin, Cernunnos, Apolo" enquanto visualiza a água se enchendo com essa luz dourada.
Após seu banho cotidiano despeje o banho sobre todo seu corpo da cabeça aos pés e visualize-se sendo envolvido pela luz dourada do Sol.
Tome esse banho sempre antes de se conectar com o Deus, em sua transição de ciclo ou quando sentir que precisa da energia e força solar.

Montar o Altar do Sagrado Masculino: Por mais que tenhamos um altar para as nossas práticas mágicas e conexões é importante separar um cantinho especial para nossa conexão com o Sagrado Masculino.
Não necessariamente um altar fixo, pode ser um altar móvel em que você monta apenas nas suas transições de ciclo, reconsagrações e vivências.
Há um post no blog do Falo o Sagrado Masculino que fala dos instrumentos que podemos colocar no nosso altar. Sugiro que leiam ou releiam: O Altar dos Mistérios Masculinos
É importante que coloquem nesse local objetos e imagens que te ligam a Masculinidade como fotos de ancestrais, imagens de Deuses, canivete, adagas, lança, cristais como cornalina, olho-de-tigre, pedra do sol, objetos fálicos entre outras coisas que acharem necessário.

Ritual –

Trace um Círculo Mágico de proteção e convide seus ancestrais masculinos da terra do sangue e da Arte para se fazerem presentes, lhe protegendo e guiando durante seu ritual.
Acenda um incenso solar e uma vela verde, uma laranja (dourada ou amarelo) e deixe uma vela branca reservada apagada no altar – lembrando de consagrar as velas antes de acendê-las para o Senhor das Dez Mil Faces com um óleo de almíscar ou musgo de carvalho. E faça uma invocação ao Senhor das Dez Mil Faces.
Faça um agradecimento ao Deus do seu ciclo que findou agradecendo a pelas bênçãos, aprendizados e companhia que ele te fez nesse período. Se achar necessário faça uma oferenda para ele – pode ser uma vela, um incenso, um pouco de água, siga sua intuição.
Leia sobre o seu novo Deus de Ciclo e busque um elemento chave pode ser um objeto, um cristal, uma imagem, uma prece, um mantra ou até mesmo a representação animal dessa divindade, algo que te conecte a face desse Deus.
Medite e peça para que ele lhe guie nesse novo ciclo que está iniciando, abrindo seus olhos e coração para o que ele veio lhe mostrar. Deixe a coisa fluir naturalmente.
Pode utilizar esse momento para se conectar com seus ancestrais masculinos se conectando com a força deles ou pedindo um conselho através de algum oráculo.

Masturbação Sagrada (MS): Assim como o Falo é nosso elo com nosso Deus Interior, se masturbar liga-nos diretamente a ele e com a energia dos deuses. Assim como elevamos poder dentro de um círculo ritual cantando, tocando, dançando, caminho ao redor do círculo, ao se masturbar também elevamos uma grande quantidade de poder. Porém a Masturbação Sagrada é diferente de uma simples estimulo genital. Primeiramente você deve despertar em você seu Deus Interior o seu Poder Fálico, alcançar uma ereção, sem utilizar de meios como pornografia, que muitas vezes profanam algo tão sagrado que é o corpo, ou qualquer estímulo exterior que não venha de sua energia fálica. Ao se masturbar, você não leva sua concentração apenas para seu falo, mas sim para todo seu corpo, sinta a energia sendo elevada através de você ao sentir o orgasmo e a ejaculação se aproximando deve concentrar toda essa energia em algo específico, como enviar essa energia como cura para terra, ao ejacular toda essa energia é canalizada. Tem que estar atento para não se distrair apenas pelo prazer que o ato proporciona, tem que estar atento ao objetivo de sua Masturbação Sagrada, para onde ou para que, irá canalizar essa energia. Jorre seu sêmen em seu Vaso Branco ou outro recipiente.
Eleve o recipiente com seu sêmen e o consagre ao Senhor do Sêmen Sagrado o Grande Fertilizador.
Consagre-se com seu sêmen traçando um símbolo do Deus em sua testa.
Unte a vela branca com seu sêmen e a acenda enquanto canta, dança ou recita cargas ou preces ao Senhor das Dez Mil Faces.

O restante é essencial que você faça uma libação de seu sêmen a terra despejando sobre a terra ou um vaso de plantas. Se não for possível trace um pentagrama invocante com seu dedo indicador da sua mão de poder, banhado com seu sêmen no chão, mentalizando que todo o poder de seu sêmen é doado a terra.
Dessa maneira você irá se conectar com a face primordial do Deus, de fertilizador, doador de vida. Estará fazendo seu papel de homem sagrado doando de sua energia, de seu poder a Grande Mãe.
Após isso faça o quiser... cante, dance, escreva, crie... e oferte algo para seu Deus de Ciclo
por exemplo: nesse ciclo estou com Zeus ofertei para ele que toda quinta-feira desse ciclo irei fazer uma libação para ele.
Dessa forma você irá criar um vínculo com o Deus de seu ciclo.
Após dispense e agradeça a presença do Deus e de seus ancestrais masculinos e abra o Círculo.
Deixe ao menos a vela branca queimar até o fim. E de preferência use uma peça de roupa branca simbolizando o poder do sêmen e a força regenerativa do Deus.

Por Gawen Ausar


2 comentários:

  1. Adorei o texto era tudo que procurava na minha busca. Gosto muito de me masturbar mas sinto q e algo sagrado e e preciso se fazer algo. Só queria saber é feito o ritual nu ? Gratidão por me ajuda, irei ler muito seu blog

    ResponderExcluir
  2. agradeço no aguardo de novas publicações!

    ResponderExcluir